sexta-feira, 23 de março de 2012

Fábrica de Cerveja Cachoeira / Gustavo Ehlke




Joachim Friedrich Ferdinand Ehlke, conhecido como Ferdinando ou Fernando veio para o Brasil juntamente com seu irmão Johann Wilhelm Friedrich Ehlke, o Fritz ou Frederico.de origem pomerana, isto é, os membros emigrados para o Brasil, vieram da Pomerânia, antiga Província da Prússia (Oriental), depois Alemanha unificada, e, atualmente território polonês após a segunda Grande Guerra Mundial.

Vieram com suas famílias pelo barco "Franklin", saído de Hamburgo, tendo chegado em São Francisco do Sul - SC, aos 05 de junho de 1863, com destino à Colônia Dona Francisca (Joinville atual), estabelecendo-se, inicialmente à Estrada Blumenau, núcleo de "Neudorf", em Joinville -SC, dedicando-se à Lavoura. A partir de 20 de maio de 1877 foi, durante muitos anos, professor contratado pela "Schulgemeinde der Blumenauer Strasse Neudorf" (Associação Escolar da Estrada Blumenau Neudorf).

Mais tarde transferiu-se para a Lapa - Pr, onde durante anos foi presidente da Comunidade Evangélica Luterana. Em setembro de 1906 mudou-se para Canoinhas - SC, onde já residia o seu filho Roberto.

Ferdinando nasceu em 9 de março de 1927, em Kamptz, Pomerânia (Prússia) e faleceu em Joinville - SC em 13 de janeiro de 1916, com 88 anos de idade, foi casado duas vezes, tendo ambas as esposas se chamado Karolina.

Para o Brasil, veio acompanhado da segunda esposa e 5 filhos do primeiro matrimônio ainda nascidos na Pomerânia: Franz Friedrich Wilhelm nascido em 1846, Auguste Ernestine Luise nascida em 1850, Hermann Ferdinand Theodor nascido em 1854, Anna Wilhelmine Emilie nascida em 1858 e Wilhelmine nascida em 1861.

Já instalados em Joinville, 18 dias após a chegada da família ao porto de São Francisco do Sul - SC, nasceu mais um filho: Gustav (Gustavo).

Posteriormente, Gustavo se estabeleceu no Paraná em uma área pertencente ao município de São João do Triunfo, originalmente um posto avançado, um local de pouso dos Bandeirantes que adentraram nossas matas para ocupar o sul do Brasil. Tendo sido um dos pioneiros fundadores de uma colônia que inicialmente recebeu a denominação de Porto de Santa Maria, por situar-se às margens do Rio Iguaçu; em 1890 passou a chamar-se Colônia Maria Augusta em homenagem a esposa do administrador do povoado, José Carvalho Sobrinho. É nesta época que chegam cerca de duas mil famílias polonesas lideradas por Sebastião Edmundo Saporski e se estabelecem em pequenas colônias rurais, a colônia passa a ser conhecida como Colônia São Matheus e finalmente, através da Lei Estadual nº 763 de 02 de abril de 1908 foi criado o Município de São Mateus do Sul e instalado oficialmente em 21 de setembro de 1908.
Neste Município, onde está instalada a Usina Industrial de Xisto da Petrobrás, que Gustavo fundou a sua fábrica de cerveja, foi a primeira do Município, a Fábrica de Cerveja Cachoeira.
Dedicou-se, também, ao comércio de compra e venda de erva mate. Foi casado com Rosa Weinhardt e em 25 de fevereiro de 1933 faleceu em São Mateus Sul – Pr, estando sepultado no Cemitério dos Imigrantes em Joinville, não tendo deixado filhos.

Um comentário:

José Braz disse...

Uma saga. Homenagem é devida a todos os desbravadores.